18 maio 2016

O Vestido Frankstein

       Antes de ficar noiva eu era totalmente alheia ao mundo dos casamentos. Não sabia o que eram 80% das coisas básicas que precisamos saber pra organizar nosso casamento, gente!! Não sei como eu ia ter casado se não fosse um monte de gente que deu dicas, pitacos, explicações: colegas do site Casamentos, família, a organizadora do casamento (principalmente, né?!)! Enfim, durante 9 meses de descoberta e organização, muita coisa aconteceu e fui escrevendo. Agora que a loucura passou e eu estou tendo um pouco de tempo, queria dividir com vocês essas estranhezas e experiências. Uma série de relatos que eu vou contar pra vocês, e começa agora. Peguem guaraná e pipoca, apaguem a luz e conheçam a terrível história de “O Vestido Frankstein”.
Noiva Frankstein, vestido Frankstein, véu Frankstein... É tudo marca, gente!

       No primeiro ateliê de vestidos de noivas que eu fui, tive a primeira constatação de que ia sim me apaixonar por todo esse tema de casamento. Mas principalmente porque é muito engraçado! Logo de cara uma visão hilária. Havia uma moça na faixa dos 25 anos acompanhada de uma senhora que concluí ser a mãe dela. No telão do ateliê ela mostrou 5 modelos diferentes de vestidos de noiva. Meu pensamento: “Ok, ela vai discutir a respeito e escolher um. Normal.”  Errou feio!
Vamos escolher só um?

       Segue o diálogo, que foi super acelerado:
       "Eeeeeesse!! Olha esse corpo, essa renda... Quero esse modelo (Vestido 1)! Só que não nesse tecido. No tecido daquele ali (2)! Mas essa manga... Hmm, eu queria a manga do número 3 ali, ficaria lindo, porque o caimento...
       A mãe interrompe: Mas essa manga com os detalhes do vestido 4, né? Fica mais bonito, eu acho, porquê...
       Noiva interrompe: Claro!!! E essa manga com esse detalhe, mas não nesse illusion tal, mas no tipo x que eu não tenho um modelo aqui mas depois eu acho pra te mostrar. Ah, é, e não combina essa manga com o decote em V, então o decote eu quero esse formato coração aqui (aponta o vestido 5).
       Então, esse modelo 1 é reto e eu não queria tão reto. Olha esse ali (modelo 6), que é sereia: é lindo mas é muito marcado! A gente podia fazer o caimento desse 1 até a cintura e usar um pouco o corte sereia, só que não tanto. Acho que só metade sereia dá! Daí não fica nem justo e nem reto. Ok?”
Alguém confirme que isso é normal e aceitável, pq eu não tô ok.

       Imagine esse diálogo acima realmente acelerado, como uma criança empolgada com o presente de natal que tomou muito café e açúcar. Depois da concordância da atendente ela respirou aliviada. Sorriu. Missão cumprida. Tirou da bolsa e jogou na boca uma balinha de Halls, provavelmente sabor ecstasy. Começou a mostrar várias fotos de véus e mantilhas variados, repetindo o mesmo processo de montagem. Me ocorreu: E o sapato? Será possível um sapato frankstein?
NOOOOOOOOOOOO!!!!!!